Últimas Notícias

27/06/2017

TELMA DEFENDE VIABILIDADE ECONÔMICA PARA MANTER PRODESAN


"A Prodesan é viável comercialmente e será uma injustiça o seu fechamento pela Prefeitura". A avaliação é da vereadora e ex-prefeita de Santos, Telma de Souza, proferida na sessão da Câmara Municipal nesta segunda-feira (26/6), com a presença de aproximadamente 150 funcionários nas galerias. Nos últimos meses, a Companhia está sob ameaça de interrupção das suas atividades, venda do seu patrimônio e demissão em massa.

A Prefeitura de Santos afirma que a Prodesan é deficitária, por conta do sucessivo acúmulo de dívidas. A Administração alega, também, que a Usina de Asfalto da empresa está sucateada e não é competitiva no mercado. Além disso, semanalmente surgem novas listas de dispensa de funcionários.

Para Telma, o estágio atual da Prodesan se deve às más gestões da empresa nas duas últimas décadas. A vereadora suspeita de que houve um plano de sucateamento, de abandono e de perda de atrativo comercial pelos serviços oferecidos pela Prodesan, como estratégia para interromper suas atividades, que poderiam ficar a cargo de empresas terceirizadas. "A Prodesan é um patrimônio dos santistas. Se, hoje, ela é incapaz de ser forte no mercado e não é mais a empresa de planejamento urbano como foi no passado, a responsabilidade é dos governos que ocasionaram esta situação, e não dos profissionais da Prodesan, que, por tudo isso, correm o risco de perder seus empregos". 

No caso do fornecimento de asfalto, a posição da Prefeitura é que o seu produto não é competitivo, bem como sua estrutura não consegue oferecer material de qualidade. Telma discorda. Ela relata que, em conversa com a divisional Santos da Sabesp, foi exposto que a Companhia de Abastecimento gostaria de contratar a Prodesan para obter asfalto e mão de obra para tapar os buracos causados pela manutenção das tubulações nas ruas de Santos, principalmente por o material ser de qualidade significativa. No entanto, a Administração admite que pode vender a Usina, cujo terreno interessa a investidores portuários, por sua proximidade com a faixa de cais.

Agradecidos com o apoio de Telma, funcionários da Usina expuseram uma faixa com o dizer "Volta, Telma!', saudosos do tempo em que a atual vereadora foi prefeita da Cidade e promoveu uma verdadeira valorização dos funcionários da empresa, criando, por exemplo, plano de saúde.

Ao final da sessão, Telma e outros vereadores foram ao térreo do Castelinho, sede do Legislativo Santista, para se reunir e anunciar planos para a luta pela manutenção da empresa.