Últimas Notícias

14/11/2017

LUTA CONTRA DESIGUALDADES MARCA HOMENAGEM AO BISPO DE SANTOS


O combate às desigualdades sociais e a dedicação aos mais pobres, à Democracia e aos Direitos Humanos deram o tom da homenagem da vereadora Telma de Souza ao bispo diocesano de Santos, Dom Tarcísio Scaramussa, nesta terça-feira (14/11). A ex-prefeita da Cidade concedeu o título de Cidadão Emérito ao líder da Igreja Católica na Baixada Santista, em reconhecimento à sua atuação pelo Município, mesmo antes de ser designado bispo.

Em solenidade cercada de muita emoção e fé, Telma destacou a trajetória do religioso desde Prosperida, no Espírito Santo, onde nasceu em 1950, até a sua ordenação com bispo diocesano, em 2015. A ex-prefeita recordou a decisão de ser padre do homenageado, a sua formação Salesiana de Dom Bosco, além de seus trabalhos junto à Arquidiocese de São Paulo, quando atuou em projeto importantes junto ao bispo Dom Odilo Scherer, como o combate à fome.

Telma deu especial atenção ao fato de Dom Tarcísio ter estado em Roma, no ato de canonização de Madre Teresa, depois de o Vaticano ter reconhecido o milagre sob Marcilio Haddad Andrino, que estava em estado terminal e recuperou-se sem nenhuma sequela. "Dom Tarcísio tem se mostrado um verdadeiro santista nestes três anos de governo diocesano. O bispo é presença constante em nosso cotidiano, trazendo, em todos os instantes, um gesto, um abraço, uma palavra de generosidade, de solidariedade, fraternidade e amor".




CONFIRA O DISCURSO DA VEREADORA TELMA DE SOUZA:
 
"Boa noite a todas e todos.

Quem nasceu em um lugarejo – como o próprio Dom Tarcísio diz - de roça, chamado Prosperidade, não poderia viver sem desejar e lutar por uma vida mais próspera e digna aos seus semelhantes. Essa foi a escolha do menino Tarcísio, um dos 14 filhos de seo Quirino Scaramussa e dona Crédia, uma família tradicional religiosa de descendentes de italianos, moradora do município de Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Optou pela fraternidade, servir ao próximo e religar as pessoas a Deus.

Nascido em 1950, aos 5 anos o pequeno Tarcísio já sabia o que queria: ser padre. Jamais pensou ser ou fazer qualquer outra coisa na vida que não fosse o exercício da fé. Aos 10, foi para o seminário na Congregação Salesiana de Dom Bosco, reconhecida pela missão de transmitir o amor de Deus, especialmente aos mais pobres, por meio da evangelização, da família, da educação e da assistência social, contribuindo para a construção de uma sociedade justa e fraterna.

A formação salesiana ganha ainda mais sentido no início da juventude de Tarcísio, no Instituto Salesiano Anchieta, em Boa Esperança (Espírito Santo); no Patronato, o Instituto Benjamim Ferreira Guimarães, em Pará de Minas, no Ginásio Domingos Sávio, em Paraguaçu, ambos em Minas Gerais; e, por fim, no Noviciado Salesiano São João Bosco, em Jaboatão, Pernambuco. Podemos dizer que vem dessa época, a vocação humanista e religiosa que fazem, nesta data, o atual bispo diocesano Dom Tarcísio Scaramussa ser agraciado com o título de Cidadão Emérito de Santos.

Aos 18 anos, o jovem Tarcísio faz a profissão religiosa na Congregação dos Salesianos de Dom Bosco, voltada para a educação da juventude. Ingressa no Ensino Superior em São João Del Rei, em Minas Gerais, e forma-se em Filosofia e Pedagogia. Depois, em Belo Horizonte, faz Especialização em Orientação Educacional e obtém a graduação em Teologia.

Ao mesmo tempo, faz a profissão perpétua, em Jaciguá, no Espírito Santo. Começava assim uma reconhecida trajetória, estabelecida pela busca da garantia dos direitos básicos a todos, asseverando o efetivo processo democrático.

Ordenado padre, trabalha dois anos em São João Del Rei e volta à sua terra, no Espírito Santo, onde fica por nove anos. Regressando à capital mineira, na coordenação dos salesianos, torna-se Provincial, respondendo pelos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e Tocantins. Eleito para o Conselho Geral dos Salesianos, segue para Roma, onde permanece por seis anos, e, ao final desse período, é nomeado Bispo
Auxiliar de São Paulo, voltando ao Brasil e atuando por seis anos na Arquidiocese.

A decisão do Papa Bento XVI muda a trajetória idealizada pelo menino Tarcísio. Formado para viver no espírito salesiano, o padre Tarcísio jamais pensara, àquele momento, em deixar a vida de uma comunidade para atuar em uma diocese, ainda mais como bispo. O imponderável está sempre por perto e o religioso não poderia deixar de atender uma missão confiada pelo então Sumo Pontífice. Assume papéis de destaque na Arquidiocese, e apoia Dom Odílio Scherer em diversos projetos especiais, como o combate à fome.

Em 2014, Dom Tarcísio recebe novos desafios, sendo ordenado bispo coadjutor de Santos. No ano seguinte, o Papa Francisco atende à renúncia ao governo pastoral apresentada por Dom Jacyr Francisco Braido – agora Bispo Emérito -, no limiar dos seus 75 anos, e Dom Tarcísio torna-se o nosso sexto bispo diocesano. Por coincidência, naquele ano, a Campanha da Fraternidade tinha o lema “Eu vim para servir”.

Além de ter estado presente em Roma, no ato de canonização de Madre Teresa, depois de o Vaticano ter reconhecido o milagre sob Marcilio Haddad Andrino, que estava em estado terminal e recuperou-se sem nenhuma sequela, Dom Tarcísio tem se mostrado um verdadeiro santista nestes três anos de governo diocesano. O bispo é presença constante em nosso cotidiano, trazendo, em todos os instantes, um gesto, um abraço, uma palavra de generosidade, de solidariedade, fraternidade e amor.

É do próprio Dom Tarcísio, salesiano de formação, viver em comunidade. Como líder da Igreja Católica na Baixada Santista, ele consegue fazer com que a Diocese esteja em sintonia com as paróquias, as pessoas das suas comunidades, dos bairros e das nossas cidades.  Não é raro ouvi-lo dizer da sua satisfação em estar em Santos, do seu prazer em ter o convívio com a população local, a quem julga muito acolhedora e de grande participação comunitária. “E HABITOU ENTRE NÓS” – lema do bispado no brasão de  armas de Dom Tarcísio.

Hoje, temos a alegria de ter a presença constante de Dom Tarcísio. Não só por ser o nosso bispo diocesano, mas, sim, por termos alguém que se destaca por suas qualidades, seja pela sua trajetória religiosa, seja pelas suas ideias. Por tudo isso, hoje, neste Plenário, a Câmara de Santos outorga ao menino de Prosperidade o título de Cidadão Emérito de Santos. E todos nós, partes desta Cidade e desta Região, comemoramos a satisfação de estar ao lado de um pastor dedicado aos mais pobres, que sabe o valor da democracia e dos direitos humanos, e que luta permanentemente pela superação das desigualdades sociais, com fraternidade.

Viva o mais novo Cidadão Emérito de Santos: Dom Tarcísio Scaramussa!

Telma de Souza"