Últimas Notícias

03/05/2018

CÂMARA DE SANTOS FAZ HOMENAGEM PÓSTUMA A PAUL SINGER NESTA SEXTA-FEIRA


A Câmara de Santos presta homenagem, nesta sexta-feira (4), às 16 horas, ao professor e economista Paul Singer, principal expoente nas pesquisas e no desenvolvimento de políticas sobre Economia Solidária, falecido no último dia 16 de abril. Por iniciativa da vereadora Telma de Souza, os familiares do homenageado receberão a Medalha de Honra ao Mérito Brás Cubas – uma das maiores honrarias da Cidade, por sua contribuição em projetos desenvolvidos em Santos e em todo o País.

Paul Singer receberia a homenagem em 29 de agosto do ano passado, mas, por conta da fragilidade de sua saúde, solicitou o adiamento da solenidade. A entrega da homenagem foi então remarcada, mas o professor faleceu antes de recebê-la. Consultado por Telma, o filho de Paul Singer, André Singer, confirmou a manutenção da homenagem, mesmo póstuma.

Nascido na Áustria, Paul Israel Singer é considerado o maior nome da Economia Solidária, sistema que consiste em uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza centrada na valorização do ser humano. Particularmente em Santos, o professor inspirou e norteou o desenvolvimento de grande parte das políticas sociais implantadas sob os governos da Administração Democrática Popular, entre 1989 e 1996, sobre os quais Telma e David Capistrano foram prefeitos, especialmente com o projeto de Lavandeiras Comunitárias. Mais recentemente, também em Santos, Paul Singer ainda participou da orientação do Curso de Formação de Gestores em Economia Solidaria na Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) e proferiu a palestra inaugural. O homenageado ainda discutiu propostas voltadas à Saúde Mental com a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária de Santos (ECOSOL), buscando fortalecer os projetos, oficinas e empreendimentos de trabalho e renda, protagonizados pelos usuários da saúde mental local. Por fim, nos últimos anos, como secretário nacional de Economia Solidária, o especialista contribuiu com a Prefeitura de Santos, sugerindo e incentivando o prefeito Paulo Alexandre Barbosa para a adoção de mais medidas voltadas à Economia Solidária na Cidade.
 
Para Telma de Souza, ao aprovar a homenagem, a Câmara Municipal demonstrou o profundo reconhecimento de Santos às ideias propostas por ele, particularmente da Economia Solidária. “O legado do professor Paul Singer se mantém. Os ensinamentos deles se fazem presentes no campo das ideiais, especialmente no momento político e econômico atual do País, por conta dos ataques sistemáticos às garantias trabalhistas, o que torna imperativa a resistência às modificações da relação entre o capital e o trabalho, baseando-se em princípios como a equidade, a garantia dos direitos conquistados e a solidariedade, em detrimento ao lucro e ao acúmulo indiscriminado”.

BIOGRAFIA - Nascido em Viena, na Áustria, no dia 24 de março de 1932, e radicado em São Paulo, no Brasil, desde 1940, Singer era filho de pequenos comerciantes judeus do subúrbio operário de Viena, e emigrou com a família ao Brasil quanto tinha oito anos, para evitar perseguições nazistas. Já em São Paulo, em 1951, Paul Singer formou-se em Eletrotécnica na Escola Técnica Getúlio Vargas e, a partir de 1959, cursou exitosamente o curso de Economia da Universidade de São Paulo. Filiado ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, foi um dos líderes da greve dos 300 mil que paralisou a indústria paulistana por mais de um mês em 1953.

Paul Singer foi membro ativo do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi um dos fundadores da Organização Revolucionária Marxista Política Operária (Polop), ala mais à esquerda do Partido. A organização foi uma das mais influentes na formação de diversos outros grupos revolucionários de esquerda no país.

Em 1960, Paul Singer começou a lecionar na USP, dando prosseguimento aos estudos, tornando-se doutor em Sociologia em 1966. Para tal, defendeu tese sobre o desenvolvimento econômico e seus desdobramentos territoriais em cinco cidades brasileiras, sob a orientação do sociólogo e político Florestan Fernandes. Logo em seguida, foi aos Estados Unidos estudar Demografia em Princeton e retornou para ser Professor Titular da USP nas faculdades de Economia, Administração e Contabilidade. Entretanto, o Golpe Militar de 1964 mudaria o cenário e a história nacionais, com perseguições a adversários políticos e defensores de ideias de esquerda, culminando, em 1968, pelo Ato Institucional número 5, com a cassação de seus direitos políticos.

O AI-5 impôs a Paul Singer a sua aposentadoria compulsória por causa de suas atividades políticas, aos 37 anos de idade, com a expulsão do corpo docente da USP. A restrição o levou àfundação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), um núcleo intelectual de oposição à ditadura.

Paul Singer voltou a lecionar em 1979 na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). No ano seguinte, ajudou fundar o Partido dos Trabalhadores (PT). Lecionou durante apenas quatro anos na PUC, mas continuou desenvolvendo seus trabalhos no CEBRAP até 1988. Livre docente e professor titular da USP, foi secretário de Planejamento de São Paulo no governo de Luiza Erundina e, a partir de 2003 por 13 anos, secretário nacional de Economia Solidária do governo brasileiro, nas gestões dos presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Paul Singer foi casado com Melanie Berezovsky, falecida em 2012, e pai de três filhos, um cientista político, uma socióloga e uma jornalista.